Sem categoria
COLUNA #57 LIFE STYLE – JORNAL TRIBUNA INDEPENDENTE
PORTFÓLIO
COLUNA #56 LIFE STYLE – JORNAL TRIBUNA INDEPENDENTE
INTERVIEWS
COLUNA #55 LIFE STYLE – JORNAL TRIBUNA INDEPENDENTE

Ping pong perfumado com Jean Bueno

14 de novembro de 2017 | Por: Wilson Smith

Na quinta (9) me juntei a um time de homens formadores de opinião para conhecer o processo de produção da mais nova fragrância da família Malbec de O Boticario, o Malbec Gold. O lançamento aconteceu no Bon Vin Boutique & Bistrot, na Ponta Verde, regado a um bom vinho Malbec como parte da celebração dos 35 anos da presença da marca em Alagoas, na ocasião o Gerente de Perfumaria de O Boticário Jean Bueno realizou uma  oficina olfativa, com os ingredientes de Malbec Gold. Foi uma experiência incrível poder fazer meu próprio perfume.

Com ingrediente ativo Goldsense, nova fragrância Malbec Gold aumenta o poder de atração do homem

Um dia antes fui como repórter do Suplemento TUDO! do Jornal Tribuna Independente e tive a oportunidade de entrevista Jean Bueno, um expert da perfumaria. Confira entrevista completa:

Jean Bueno revelou alguns segredos da perfumaria em seu talk show e oficina olfativa 

A perfumaria movimenta bastante o marcado brasileiro, são altos índices de consumo no país. No Nordeste, há um consumo maior de perfumes que nas demais regiões. A que você credita essa diferença?

O Brasil é um dos países mais perfumados do mundo, é o segundo maior mercado de perfumaria e vai se tornar o primeiro até 2021. E o Nordeste, especificamente, de fato é mais perfumado que as demais regiões do país. A quantidade que a pessoa passa é até igual, mas aqui são reaplicadas várias vezes ao dia, enquanto na média nacional é uma vez ou no máximo duas em geral no Nordeste são três ou quatro aplicações. Isso está muito associado ao hábito de banho, em virtude do calor, então o consumo aqui é maior por isso.

Quais pontos você destaca sobre a evolução da perfumaria nacional para incentivar o consumo e valorização dos perfumes nacionais?

No passado a perfumaria nacional era limitada as splash, as águas de colônia, compondo uma perfumaria mais básica e simples, uma extensão do mundo do banho. Nas últimas duas décadas o Brasil evoluiu muito e entrou efetivamente na perfumaria internacional, Malbec, por exemplo, vendemos muito no Brasil e Portugal, em número de unidades é o perfume mais vendido no mundo. O mesmo perfumista que faz Dior, Calvin Klein, Prada é o perfumista que faz Malbec, Quasar, Floratta, com as mesmas matérias-primas, processos, máquinas, mestre videiro e todo mix. Temos acesso ao que há de melhor no mercado em nível global.

A barreira entre o feminino e o masculino está cada vez menor na moda. Na perfumaria acontece a mesma coisa?

Hoje em dia está realmente mudando, antes existiam roupas para homem e para mulher, assim como perfumes, mas essa fronteira está cada vez menos delimitada, atualmente em nossa perfumaria já temos marcas que não são rotuladas para ele ou para ela. Acredito que a grande questão é se questionar “Eu gosto da fragrância?” e se for sim, esse perfume passa a ser seu indiferente do gênero. Existem mulheres que gostam dos cheiros mais amadeirados, que eram uma escolha tipicamente masculina, homens que usam fragrâncias com toque florais que eram do universo feminino. Daqui a uns 10 anos não vai mais existir essa fronteira, você não vai encontrar mais nas lojas as versões feminino e masculino, você vai encontrar apenas as versões e escolher a que mais gosta, assim como vem acontecendo na moda e demais áreas que tem caminhado para isso.

Como você enxerga a relação do brasileiro com os perfumes, existe algum fator que diferencia o público de outras culturas?

Sim, existem, três fatores muito importantes para o brasileiro, a primeira é explosão, ou seja, meu perfume tem que chegar antes de mim e as pessoas vão notar que cheguei e o cheiro tem que traduzir um pouco da personalidade de quem usa, a segunda é rastro, que é quando você passa e o cheiro perpetua e a terceira coisa é duração, se após 3 ou 4 horas a fragrância não continuar intensa, o brasileiro já acha que o perfume não é de qualidade. Explosão, rastro e duração são coisas muito típicas dos brasileiros.

Quais os perfumes você indicaria para os leitores do TUDO! nesse alto verão que se aproxima?

É muito difícil escolher, como trabalho na produção, gosto de todos, mas para essa temporada sugiro principalmente as notas com florais frutais, acabamos de lançar o Floratta Flores, que mistura flores e frutas e para os homens sugiro também os amadeirados que estão em alta, só que com um toque mais fresco que o verão pede. Agora chegou o momento em que as pessoas devem ousar, misturar, usar coisas novas, sentir e eleger o que gosta, não tem certo ou errado. Uma tendência interessante é misturar perfumes, você pega um cítrico com amadeirado e personaliza seu cheiro, as pessoas estão buscando exclusividade, para serem únicas, vale o exercício.

Essa foi a versão impressa publicada no suplemento TUDO! editado por James Silver   

Espero que tenham gostado desse bate papo. Forte abraço!

Comentar




* Área sinalizada obrigatória.
Comentários com conteúdo racista, span, publicidade, pornográfio ou com agressão verbal serão rejeitados.