Sem categoria
COLUNA WIL STYLE #86 – JORNAL TRIBUNA INDEPENDENTE
Sem categoria
COLUNA WIL STYLE #85 – JORNAL TRIBUNA INDEPENDENTE
Sem categoria
LUZ, CÂMERA E AXION! 
12 de setembro de 2022

Exposição fotográfica Caixa de Pandora dos alunos do PRONATEC entra em cartaz no IPHAN Alagoas

No dia 15 de setembro a exposição dos alunos do Curso de Formação Inicial e Continuada em Fotografia, oferecido pelo PRONATEC, vai estrear no IPHAN Alagoas

A Exposição Caixa de Pandora desenvolvida pelos(as) alunos(as) do Curso de Formação Inicial e Continuada em Fotografia, oferecido pelo PRONATEC, em parceria com a Escola Estadual Santos Dumont, localizada no município de Rio Largo, será aberta ao público no dia 15 de setembro, a partir das 9 horas no IPHAN Alagoas, situado no bairro do Jaraguá em Maceió, o trabalho ficará em cartaz até dia 07 de outubro. Caixa de Pandora é uma exposição criada a partir das narrativas dos(as) fotógrafos(as) formandos(as).

A Exposição Caixa de Pandora é o resultado de uma pergunta simples: “Quem é você?” A provocação foi feita aos(as) alunos(as) do curso PRONATEC e eles criaram um ensaio de seis fotos no estilo artístico autoral a partir do questionamento. O curso de 190 horas aulas foi ministrado pelo fotoartísta e historiador pernambucano radicado em Alagoas, Roger Silva, que tem em seu DNA criativo trabalhos no campo imagético, atrelados à discussões e debates sobre pautas sociais.

Foto: Antonia Avelino

O professor destacou que “Os 23 alunos foram desafiados a produzir em um mês, os ensaios exibidos na exposição, foram dias de trabalho intenso, onde eles estiveram envolvidos com a fotografia e produção sob minha orientação. Ao fim, conseguimos fazer uma curadoria de mais de setenta fotografias, a curadoria é minha e da fotógrafa Tayná Almeida, com o apoio da Casa Alagoana de fotografia, IPHAN, PRONATEC e a direção da Escola Santos Dumont”, explicou Roger Silva.

A dinâmica da construção do trabalho que resultou na exposição se deu através da divisão da turma em duplas, e cada um ficou responsável em ouvir a história do outro, para a partir dessas informações criarem uma narrativa conceitual e artística que representasse o tema escolhido por eles. Segundo o professor e fotógrafo Roger Silva, o nome Caixa de Pandora veio à mente ao receber o primeiro relato de uma das alunas participantes, ela foi violentada ainda na primeira infância, e decidiu retratar o tema em seu ensaio, e foi com essa força do simbólico na linguagem da fotografia que a aluna fomentou o debate sobre um tema tão necessário de ser discutido.

Foto: Lyvia Micaely

Ao longo do desenvolvimento da atividade uma enxurrada de relatos sobre violência psicológica, preconceitos, dores guardadas, dentre outros temas vinheram à tona e estão materializados nas obras. Dessa forma, a Exposição Caixa de Pandora é uma analogia ao mito, mas que traz na sua essência a coragem das Pandoras em abrir suas caixas e revelar o que foi colocado dentro delas.

“A periferia tem inúmeros problemas de ordem social, econômica e psicossocial, precisamos falar sobre eles, não dá mais para deixar essa caixa fechada. Por meio da fotografia artística e autoral os(as) futuros(as) fotógrafos(as) conseguiram trazer para superfície do papel através da teoria e da prática, narrativas que suscitam debates urgentes na sociedade, 90% dos ensaios giram em torno do medo, dor, solidão, incompreensão, preconceito e violência”, relatou o professor de fotografia.

Foto: Matheus Costa

Outros temas compõem a exposição, como autoestima, redes sociais e estereótipos. Entretanto, entre os destaques das obras está a esperança da maioria dos discentes, em não passar por tantas coisas ruins no presente e no futuro, e a fotografia figura como esse vetor de escape.

“Como no mito de Pandora, todos os males foram revelados e saíram de dentro da caixa, ficando apenas a esperança. Essa, nunca nos abandona, sem ela não conseguiríamos seguir em frente. É importante destacar que não foi Pandora que colocou todos esses males lá, na exposição são 23 caixas sendo abertas ao mesmo tempo, uma explosão aos olhos”, concluiu Roger Silva.

A Exposição Caixa de Pandora terá sua estreia no dia 15 de setembro, a partir das 9 horas e ficará em exibição até o dia 7 de outubro com entrada franca para todos na sede do IPHAN Alagoas.

Foto: Quérem Hapuque

Apoio humano e institucional:

Supervisor: Vanilson de Lima Coelho

Coordenadora Adjunta Técnica Acadêmica: Renilda Maria Pereira de Melo

Diretora: Áurea Helena de Vasconcelos Almeida

Orientadora: Rozilene Rodrigues Gomes Albuquerque

Administrativo: Ana Tereza Vasconcelos Rodrigues

Professor: Roger Silva

Curadoria: Thayná Almeida e Roger Silva

PRONATEC

IPHAN – AL

Casa Alagoana de Fotografia na pessoa do fotógrafo Jorge Vieira

Artes: Roger Silva e Everton Belo

17 de maio de 2022

Arte Pajuçara cria campanha virtual para evitar encerramento de atividades

Último cinema de arte da cidade de Maceió, o Arte Pajuçara tem lutado para manter as portas abertas nos últimos anos. O espaço resistiu à pandemia de Covid-19, que provocou o fechamento de várias salas importantes pelo país, graças a Lei Aldir Blanc.


Mas, como reflexo do longo período sem atividade, agora passa por uma ordem de despejo em decorrência de uma dívida de aluguel acumulada entre 2015 e 2018, cobrada com juros e correção. Após tentativas de negociação em torno de um parcelamento, sem sucesso, a única forma de manter o espaço aberto é quitando a dívida à vista.

Por isso fazemos um apelo urgente: colaborem para salvar o espaço que é um símbolo de resistência cultural e vem formando gerações de cinéfil@s há mais de 40 anos.

Não deixe o Arte Pajuçara acabar! Colabore!

Escolha um valor, faça a contribuição e envie o comprovante para o e-mail artepajucara@gmail.com para concedermos o benefício conforme o valor doado.

RECOMPENSAS

R$ 20,00: você contribui para salvar o Arte Pajuçara e recebe a nossa gratidão eterna;

R$ 50,00: além de nossa gratidão eterna, você recebe como recompensa seu nome escrito no painel de salvadores do Arte Pajuçara;

R$ 100,00: além de nossa gratidão eterna e seu nome escrito no painel de salvadores do Arte Pajuçara, você recebe o valor equivalente à doação revertido em 10 (dez) ingressos do cinema para usar quando quiser;

R$ 500,00: além de nossa gratidão eterna e seu nome escrito no painel de salvadores do Arte Pajuçara, você recebe um Poderoso Cartão, que garante o acesso livre a todos os filmes em cartaz durante 6 meses, sem limites de uso (exceto Corujão);

R$ 1.000,00: além de nossa gratidão eterna e seu nome escrito no painel de salvadores do Arte Pajuçara, você recebe um Poderoso Cartão para acesso livre a todos os filmes em cartaz durante 1 ano; sem limites de uso (inclusive no Corujão);

R$ 2.000,00: além de nossa gratidão eterna e seu nome escrito no painel de salvadores do Arte Pajuçara, você recebe um Poderoso Cartão para acesso livre a todos os filmes em cartaz durante 1 ano COM DIREITO A ACOMPANHANTE e sem limites de uso (inclusive no Corujão);

Valores acima de R$ 2.000,00  deverão ser informados pelo e-mail ingressoarte2022@gmail.com para apresentação de possibilidades, como locação do espaço, exibição de mídia, patrocínios e outras formas de contrapartida.

CRÉDITOS:

Texto: Assessoria

Foto: Assessoria

4 de maio de 2022

Produtor alagoano, Carlos Lins, lança videoclipe ‘Luz Azul’

Em novo desafio como produtor, DJ Carlos Lins apresenta música com participação do cantor petropolitano (RJ) Raphael Carius

“Luz Azul” é a nova aposta de Carlos Lins. Com mais de dez anos trabalhando com música, entre discotecagens e produções originais, Carlos retorna com um novo lançamento musical trazendo a liberdade como propósito. Com inspirações do pop e do trap, mesclando uma atmosfera sombria e retrô, a música fala sobre “Se permitir e não se limitar”.

Lançada em abril, a faixa também conta com um videoclipe lançado neste último domingo (01). O material foi gravado em Alagoas e Rio de Janeiro com a participação do cantor Raphael Carius. O objetivo principal do clipe foi materializar toda a essência da música. “O vídeo traz um visual bastante libertador artisticamente com looks, maquiagens e cenografia”, explicou Carlos acrescentando a vibe retrô e moderna ao mesmo tempo do início ao fim do vídeo.




O produtor comenta que este material é um resultado de várias influências ao longo de suas produções exploradas até então. Artistas como Jennifer Lopez, Drake, Doja Cat, Beyoncé e Xamã, musicalmente e visualmente, também exerceram influência no direcionamento da identidade da música e do produto audiovisual.

Com o clipe, Carlos espera que algumas pessoas lembrem como era ver algo na TV há trinta anos, recordar como era a experiência de gravar um material exibido na TV em VHS e depois ter a oportunidade de rever quantas vezes quiser. Algo divertido de ver já que hoje a realidade é totalmente diferente.

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL

Luz Azul conta com a participação do cantor Raphael Carius (Petrópolis – RJ), amigo e parceiro de várias produções de Carlos Lins. “Já fizemos muitos materiais juntos, incluindo meu primeiro single, ‘Go Ahead’, como artista principal em 2016 e a produção de seu álbum, ‘Escape’, lançado no ano passado. A participação dele nessa música foi por um objetivo em comum. A ideia era sair da nossa zona de conforto e arriscar novos caminhos e ideias”, explica.

MÚSICA EM NÚMEROS

Carlos Lins já soma mais de 260 mil reproduções em seus seis (6) singles originais nas principais plataformas de reprodução de música. As faixas “Pegar Fogo” e “Água na Boca” entraram, respectivamente, em grandes playlists oficiais do Spotify: Trapperz Brasil e AUGE. Seu canal no YouTube já conta com mais de 80 mil visualizações em seus videoclipes.  Além disso, o vídeo de “Água na Boca” foi indicado na última edição da Mostra Sururu de Cinema Alagoano que reconhece os materiais produzidos pelos artistas alagoanos.

Texto: Assessoria: Telhado Comunicação

7 de novembro de 2021

Fotógrafo radicado em Alagoas, Roger Silva, lança o fotolivro Banzo no Centro Cultural Arte Pajuçara

Em novembro é celebrado o Dia da Consciência Negra, é embalado por essa atmosfera das pautas sobre a negritude que o Historiador e Fotógrafo, Roger Silva, escolheu o presente mês para marcar o lançamento do seu fotolivro Banzo. A obra se propõe a discutir sobre as dores e angústias que a população preta e periférica enfrenta até os dias atuais. No próximo dia 13 de novembro, às 14:00h, acontecerá o lançamento oficial no Centro Cultural Arte Pajuçara, o evento também contará com uma mostra fotográfica, apresentação de voz e violão com Karine Moura, exibição do curta-metragem de Banzo, vencedor do Banese Cultural, e do curta-metragem documentário “Angola Palmares: Dialogando com o Grande Quilombo”, além de uma roda de conversa com o autor.

O fotolivro Banzo foi desenvolvido ao longo de um ano, é o desdobramento da série de autorretratos que teve reconhecimento nacional, na edição brasileira do renomado jornal espanhol “EL PAÍS”, a obra de Roger Silva foi a vencedora do concurso de fotojornalismo promovido pelo veículo em parceria com a editora Artisan Raw Books, apoiado pelo Favela em Pauta. As imagens que levam a assinatura do pernambucano radicado em Alagoas há 16 anos são contribuições expressivas para causas muitas vezes encobertas pela estrutura social vigente no Brasil.

O termo banzo era usado pelos africanos escravizados quando queriam dizer que estavam com saudades da sua terra natal, tristeza essa que era lapidada por força, já que entregar-se a esse amargor profundo também era uma forma de resistência. Todo o conceito da obra, processo criativo e reflexões trazidas no fotolivro vão ser apresentados em um bate-papo com o autor, sobre o tema: “Consciência negra na produção fotográfica alagoana. Que consciência?”, na ocasião o público poderá ter contato com a obra e vai interagir diretamente com Silva, em um cenário intimista e marcado por troca de vivências. A fotógrafa Gabi Coelho, que participou da curadoria de Banzo, também irá contribuir no painel.

Sobre a tarde de lançamento o fotoartista reforça: “É bastante simbólico lançar o fotolivro Banzo no mês da Consciência Negra, é uma forma de dizer que entendo a importância da data e de quem lutou para que ela exista. Nós pretos não chegamos até aqui de forma leve e sublime, são séculos de muito suor, lágrimas e sangue derramados em nome da nossa luta por liberdade. Ter Banzo ocupando esse espaço é sinal que não podemos perder a esperança, nem podemos nos acostumar com censura e o silenciamento imposto pelo racismo estrutural”, conclui.

Encorpando ainda mais o evento, será exibido o curta-metragem documentário “Angola Palmares: Dialogando com o Grande Quilombo”, dirigido por Benival Farias. O curta fala sobre a relação da capoeira com a terra de Zumbi, compondo mais uma edição do Cine Cidadão promovido pelo Cine Arte Pajuçara. “O Centro Cultural Arte Pajuçara vem se consolidando como polo de difusão e circulação cultural, com uma visão voltada para a diversidade, o que envolve temas como a questão da negritude, da cultura afrobrasileira e do combate ao racismo. Em novembro, quando nos voltamos de forma mais visível para estas questões, em razão do Dia do Consciência Negra, cabe ao espaço ampliar esse debate e contribuir para fortalecimento dessa temática”, afirma do diretor do espaço Marcos Sampaio.

O lançamento do fotolivro Banzo e todas ações incorporadas nesse projeto, nos dará a possibilidade de debates e reflexões sobre questões ligadas à negritude. E toda comunidade alagoana está convidada para participar desse momento.

Programação iniciada às 14:00h, contendo:

– Apresentação musical voz e violão com Karine Moura.

– Exibição do curta-metragem “Banzo”, vencedor do Banese Cultural.

– Exibição do filme curta-metragem documentário “Angola Palmares: Dialogando com o Grande Quilombo”.

– Bate-papo com o diretor, Benival Farias, do curta-metragem documentário “Angola Palmares: Dialogando com o Grande Quilombo”.

– Bate-papo com o fotoartista Roger Silva (Autor do Fotolivro Banzo) e a fotógrafa Gabi Coelho (que integrou a Curadoria do Fotolivro Banzo).

– Encerramento e momento para autógrafos do fotolivro.

Serviço:

Entrada: Gratuita (os ingressos podem ser retirados na bilheteria do Centro Cultural Arte Pajuçara, a partir das 13h30, serão ofertados 120 ingressos)

Data: 13/11/21

Local: Centro Cultural Arte Pajuçara

O fotolivro Banzo estará disponível para venda no evento por R$ 59,90 e pode ser adquirido em todos os cartões de crédito, em espécie ou via PIX.

Mais informações: 82 99803.8233 | 82 99981.9158

13 de setembro de 2021

Cantor alagoano Boby CH comemora 10 anos de carreira com show gratuito no Youtube

Vim aqui compartilhar a indicação de um artista que ainda não tinha tido contato com as canções, recebi essa pauta no e-mail, fui ouvir e achei incrível a sonoridade! Não podia deixar de dividir por aqui. Faço o convite para vocês darem play nas músicas do MC alagoano Boby CH. Também conhecido como Jaçaman – referência ao bairro do Jacintinho, meu conterrâneo aqui de Maceió, o artista completa 10 anos de carreira em 2021 com uma trajetória marcada por músicas autorais e diversos shows em eventos e festivais. Em comemoração, o cantor acaba de disponibilizar o live show gratuito ‘Boby CH – 10 Anos Ao Vivo’ no YouTube.

Segundo a assessoria, o repertório contou com a sonoridade da cultura SoundSystem e Jamaicana com influência no Hip Hop e Ragga presente nos três álbuns autorais ‘Estiga Perifa’, de 2014, ‘Emaná’, de 2018, e ‘Emaná Deluxe’, de 2021, além dos EPs musicais ‘Unidade’, de 2015, e ‘Vivência’, de 2019. Outros singles autorais conhecidos na cena também fazem parte do projeto, como ‘Rael’ – feito em 2020 em homenagem ao nascimento do seu primeiro filho, e ‘Massayo Remix’. O áudio ao vivo do projeto também será disponibilizado em todos os canais de streaming de música.

Achei muito legal que a equipe foi composta priorizando profissionais alagoanos para produção e execução do projeto. O material já está disponível no YouTube em todas as plataformas de streaming de música.




‘Boby CH – 10 Anos Ao Vivo’ foi realizado com recursos da Lei Emergencial da Cultura Aldir Blanc da Secretaria da Cultura do Estado de Alagoas e da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, do Governo Federal. Esse incentivo é extremamente importante e necessário, o Blog do Wil deseja ainda mais sucesso! Adorei as músicas, toda produção de cena, figurino… Parabéns à todos os envolvidos!

Ficha técnica: 

Figurino: @augustochristoff
Acessórios: @dondokas_mcz
Produção: @augustochr
Fotografia: @_edvanferreira
Barber: @anderson.marques10
Locação: @escolacriattiva
Id Visual: @jvcvmvn

6 de agosto de 2021

Associação Pestalozzi de Maceió realiza bazar beneficente

A Associação Pestalozzi de Maceió irá realizar nos dias 09 e 10 de agosto, das 09h às 16h, no pátio do Centro Especializado em Reabilitação – CER IV, que fica localizado na Rua Firmo Lopes, 242, no bairro do Farol, a primeira edição da Garagem Solidária. Comprar em bazar fortalece o consumo consciente e a moda circular. E, nada melhor do que unir essa prática sustentável à uma boa causa.

A ação da Associação Pestalozzi tem como foco a venda das doações de roupas, calçados, acessórios, objetos e utensílios domésticos arrecadadas durante campanha interna. É uma excelente oportunidade para atualizar o acervo gastando pouco e ainda contribuir com quem precisa. As peças serão vendidas com valores a partir de R$: 0,99. IMPERDÍVEL!

Imagem ilustrativa

O bazar será aberto para todos e 100% do valor arrecadado será revertido para a Associação Pestalozzi de Maceió, que atende usuários com deficiência em suas clínicas especializadas. É importante salientar que a equipe de marketing da instituição fez uma curadoria que contempla peças para todos os tamanhos, gostos e estilos.

A instituição disponibilizará várias formas de pagamento. Serão aceitos: cartões de crédito e débito, Pix e dinheiro. Maiores informações sobre a Garagem Solidária da Associação Pestalozzi de Maceió podem ser obtidas pelo telefone (82) 2121.0029 ou pelas redes sociais da instituição, Instagram: @pestalozzimaceio e Facebook: /Pestalozzidemaceió.

19 de junho de 2021

O Boticário traz Gil do BBB para celebrar São João em live show de Solange Almeida

É fato que a saudade das comemorações juninas assola os corações dos brasileiros há mais de um ano. Os nordestinos, pela segunda vez, estão sem a tradicional festa de São João. Mas a data não vai passar sem brilho. O Boticário, que sempre esteve presente e próximo à cultura nordestina, preparou diversas ações para os amantes da festividade que celebra a fé e o amor com tanta cor e alegria. A festa de São João faz parte do calendário de ações da marca, como a Orquestra Sinfônica de Exu, em 2018; os 50 anos de carreira da paraibana Elba Ramalho, em 2019, e com Dorgival Dantas para o primeiro São João virtual, em 2020.

O rei da cachorada, Gil do Vigor, do BBB 21, novo parceiro do Boticário, será o grande anfitrião da live no dia 23 de junho, que acontece no canal do Youtube do Boticário. Ele vai conduzir o momento com atrações musicais e muita cultura nordestina. A campanha “Uma Saudade Chamada São João” resgata toda a alegria desta data com a retomada de músicas regionais e decoração com muitas cores.

A cantora e compositora Solange Almeida será a principal atração do show exclusivo. Solange foi a intérprete do jingle da campanha de São João do Boticário, em uma melodia que coloca todo mundo pra cantar e dançar. Ainda durante a live, um trio de forró pé de serra de Caruaru (PE), formado exclusivamente por mulheres, também fará uma participação especial para celebrar todas as correntes musicais de São João, desde o forró raiz até mais pop, do baião ao xaxado.

Fonte: Assessoria

16 de março de 2021

Solange Arruda lança coleção batizada de “NINHO”, é a primeira família de esculturas e vasos da designer!

TALENTO DA TERRA

A Designer Solange Arruda é um talento alagoano que está em constante processo criativo. Os acessórios em crochê que exploram formas geométricas já são sua marca registrada. Como a moda é um processo fluído, Solange mais uma vez inova em sua carreira e expressa o saber handmade também através da decoração.

Seu mais novo trabalho é a mini coleção batizada de “NINHO”, a primeira família de esculturas e vasos feita de materiais vindos da natureza, como: palha, cerâmica e madeira. Mostrando novas possiblidades e vestindo a casa. As peças by Solange Arruda podem ser adquiridas no Estúdio Alavantú, que fica localizada na Rua Mário de Gusmão, Nº 555, Ponta Verde.

13 de outubro de 2020

Brechó de luxo aposta em sustentabilidade e consumo consciente pós-pandemia

Os Brechós vêm se popularizando muito nesses últimos anos como uma ótima opção de compra, uma vez que isso tem a ver com a preocupação em relação ao consumo exagerado que está diretamente relacionada aos impactos sociais e ambientais negativos de uma produção e consumo de moda desenfreados. Além do mais o preço: comprar nesse formato pode ser bem mais barato em relação às compras em lojas tradicionais.

O consumo consciente ganhou força durante a pandemia; é uma consequência positiva e que vai permanecer no “novo normal”. Inserido na tendência de economia circular, o brechó de luxo @cansei_vendi (www.canseivendi.com.br) registrou um crescimento de 30% de abril a julho em comparação ao mesmo período do ano passado e expande o acervo de seminovos com a criação da seção New But Sustainable, que traz produtos sustentáveis novos para complementar o portfólio.

Enquanto as vendas globais do mercado de luxo tiveram uma queda estimada de 25% no primeiro trimestre e devem somar um encolhimento entre 20% e 35% em 2020 – segundo a consultoria Bain & Company –, o @cansei_vendi registrou um aumento expressivo nas transações e atingiu recorde de faturamento mensal em agosto. “As pessoas não estão viajando, por conta das restrições para conter o coronavírus, e a alta do dólar tornou os importados inviáveis”, analisa Leilane.

Para compensar o prejuízo durante a crise, grifes como Chanel e Louis Vuitton aumentaram os preços mundialmente. E o reflexo foi sentido na plataforma brasileira, em que as bolsas lideraram as saídas nos últimos meses – especialmente as dessas duas marcas –, seguidas por relógios e joias.

Novo conceito!

Mais exigente, o consumidor mudou os hábitos de compras e leva em conta fatores ambientais e sociais em suas escolhas. O New But Sustainable contempla peças de moda sustentável e produtos naturais e artesanais.

Enquanto os itens do segmento second hand passam por minuciosa curadoria e controle de autenticidade – tanto da equipe interna quanto da empresa americana Real Authentication, que é especializada em artigos de luxo – para evitar falsificações, a nova categoria tem marcas locais também selecionadas a dedo, para garantir que a origem das matérias-primas e os processos de fabricação sejam coerentes com a proposta eco-friendly.

O marketplace tem mais de quatro mil peças seminovas de mais de 120 grifes, distribuídas nas seções de vestiário feminino, masculino, infantil e home & decor, com valores até 80% menores aos das lojas. “A moda é cíclica, os produtos invariavelmente voltam a ficar em alta. E o futuro do consumo é a economia circular. É um caminho sem volta, uma consequência positiva desse momento em que passamos”, diz Leilane. O Blog do Wil acredita e apoia essa iniciativa!

25 de agosto de 2020

Fotógrafo Roger Silva ganha concurso promovido pelo “EL PAÍS”

A série de autorretratos Banzo, produzida na periferia de Maceió, ocupou o primeiro lugar da microbolsa “EL PAÍS” e Artisan.  As fotos falam sobre as dores e angústias da população negra em tempos de isolamento social

Historiador, professor de História e fotógrafo por amor e prazer de registrar fragmentos da vida cotidiana, Roger Silva, hoje aos 40 anos, começou a aflorar. Seu encanto pela fotografia surgiu ainda na infância, quando aos 12 anos visitou uma loja de revelação no Centro de Maceió acompanhado de seu pai, que trabalhava como padeiro na cidade. A fotografia de Roger Silva carrega consigo um olhar para as minorias, as imagens que ele produz são reflexos do seu interior e das suas vivências.

Natural de Barreiros, município de Pernambuco, mas radicado em Alagoas desde os 15 anos, atualmente residindo no Eustáquio Gomes, o fotógrafo foi destaque na edição brasileira do renomado jornal espanhol “EL PAÍS” no último domingo (23/08), eleito como vencedor da microbolsa de fotojornalismo “A Covid-19 nas Periferias do Brasil”, oferecida pelo veículo em parceria com a editora de livros de fotografia Artisan Raw Books, apoiado pelo Favela em Pauta.

O concurso era destinado a fotógrafos independentes com ensaios que retratassem a vida cotidiana da periferia durante a pandemia do novo coronavírus.  O trabalho premiado foi a série de autorretratos Banzo, que se sobrepôs aos 135 inscritos de todo país, a obra tem como narrativa as dores e angústias da população negra periférica em tempos de isolamento social. A conquista é um marco que dá ênfase ao seu talento e dedicação. Roger começou a trabalhar aos 10 anos, ainda no interior de Pernambuco para ajudar sua família e em 2002 com a morte de seu pai assumiu a função de provedor dos irmãos ao lado de sua mãe.

A fotografia ganhou ainda mais significado e profundidade dos sentidos quando ele ingressou em 2013 no curso de História na Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Paralelo as aulas em escolas privadas e trabalhos como adesivador Roger produz seus projetos fotográficos e são com eles que se realiza. O cenário pandêmico rendeu três séries: Casulo, Metamorfose e Banzo, sendo o último responsável pelo prêmio: “Banzo é um manifesto imagético sobre nossas dores e lutas por sobrevivência”, pontua. O nome do trabalho, Banzo, significa “afetado por tristeza; que revela abatimento”. “É uma expressão usada pelos africanos escravizados no Brasil, que diziam estar banzos quando tinham tristeza ou saudades da sua terra”, explica o autor.

As máscaras usadas no ensaio, segundo Silva, são alegorias dos medos, angustias e dores da população negra que vive nas áreas mais carentes durante a pandemia. “Estamos isolados na quarentena, mas isso também é uma questão histórica. Somos banzos desde muito tempo. A pandemia só aprofundou isso”, reforça. Roger Silva tem como traço da sua fotografia o preto e branco, mas suas imagens vão além da ausência de cores, cada click reflete sobre a realidade que ultrapassa a forma.

Serviço:

O portfólio do artista, seus projetos e ações estão disponíveis em seu Instagram @rogersilvafotos. Na rede social também estão os contatos para agendamentos de ensaios e compras das fotografias.

Link da públicação no EL PAÍS.