Sem categoria
COLUNA WIL STYLE #86 – JORNAL TRIBUNA INDEPENDENTE
Sem categoria
COLUNA WIL STYLE #85 – JORNAL TRIBUNA INDEPENDENTE
Sem categoria
LUZ, CÂMERA E AXION! 

Conheça a Coleção Peixaria Santo Antônio, da marca Foz, capitaneada pelo estilista alagoano Antonio Castro

15 de janeiro de 2022 | Por: Wilson Smith

Manualidades e encontro do rio com mar:

Conheça a Coleção Peixaria Santo Antônio, da marca Foz, capitaneada pelo estilista alagoano Antonio Castro

Texto: Wilson Smith

Foto: Felipe Russo

A marca Foz, capitaneada pelo estilista alagoano Antonio Castro, de 27 anos, completou recentemente seu primeiro ano de operação. E, diga-se de passagem, uma trajetória potente, atravessada por uma bossa artística de muita autenticidade em suas criações. O mais recente lançamento é a Coleção Peixaria Santo Antônio, composta por peças que trazem um diálogo muito intrínseco entre moda e artesanato, todos os elementos que compõem a nova linha são norteados pelo saber e fazer manual. O trabalho que Antonio desenvolve é disruptivo ao cenário de produções massificadas, as criações que levam sua assinatura propõem um olhar contemporâneo para o artesanato.

As colaborações com grupos de artesãos alagoanos são iniciativas que fazem parte do DNA da marca, a primeira coleção da Foz teve a presença do trabalho das mulheres bordadeiras de Entremontes, no Sertão alagoano, e essa parceria segue acontecendo. A Coleção Peixaria Santo Antônio veio para estender um pouco mais essa viagem, saindo do Sertão e indo em direção ao Litoral alagoano. E nesse novo percurso, embarcam outros grupos e técnicas manuais.

Um forte pilar da marca é a construção narrativa que é desenvolvida através dos lançamentos, o estilista reforça que sempre tenta criar um universo muito completo em volta da roupa, e no atual trabalho não foi diferente. “Inspirada na troca entre água doce e salgada, Peixaria Santo Antônio é nossa coleção 2022 que olha para a relação do povo ribeirinho com as águas que correm em seus quintais, assim como na iconografia visual que permeia a vida nas margens destes rios, lagoas e mares”, contextualiza na primeira postagem sobre a coleção no Instagram da Foz.

Mergulhando no processo criativo de Antonio, ele nos contou que o desenvolvimento começou a partir do encontro com o trabalho de alguns pintores populares da Barra de Santo Antônio, no Litoral Norte de Alagoas. Esses artistas atuam majoritariamente pintando fachadas comerciais que exploram o estilo de pintura bem tradicional do design vernacular, como é chamada a categoria do design que engloba as expressões populares, essa vertente visual indica forte ligação com a cultura local, que é muito presente nas fachadas do Brasil adentro.

A partir de uma dessas fachadas Antonio conseguiu o contato de um desses artistas e iniciou diálogos, que logo se estreitou para uma parceria. Em um primeiro momento sem ter a certeza dos desdobramentos que essa ação traria, mas a expertise e sensibilidade criativa de Antonio logo seguiu para o desenvolvimento de um trabalho mais robusto e com profundidade.

O estilista solicitou aos pintores um mapeamento ilustrado dos peixes que nadam pelo Rio Santo Antônio, que margeiam o município Barra de Santo Antônio, ao todo foram ilustrados em papel aquarela 25 peixes de espécies que transitam entre rio e mar, pela “boca do rio”, como os locais chamam, e isso foi um start para a coleção que foi se espalhando para outros elementos. Carapeba, baiacu, carapicu, xaréu entre tantos outrospeixes, foram ilustrados por artistas da região e os desenhos se tornaram a base da estampa cardume, a composição foi então criada digitalmente  pela artista e designer Juline Lobão e impressa em tecido 100% algodão através de técnica de estamparia digital. E esse motivo dos peixes foram aparecendo em toda coleção, nos bordados, bolsas, formas, babados e franzidos, os elementos se conectam criando uma sintonia com a cultura da pesca ribeirinha e litorânea.

“Do São Franciso ao Santo Antônio, nossos bordados navegaram de Entremontes à Capela, do Sertão para a Zona da Mata alagoana, passando pelas mãos das mulheres que bordam redendê, boa-noite, ponto-cruz e bordado livre. Feito entre duas comunidades de artesãs, os bordados que fazem parte da coleção Peixaria Santo Antônio foram desenvolvidos em um misto de 04 diferentes técnicas de bordados tradicionais organizados em composições de pontos que remetem às figuras dos peixes que nadam por nossa estampa. Os bordados híbridos de Entremontes e Capela”, reforça a comunicação online da marca.

As criações do ateliê Foz em colaboração com os artesãos são iniciativas que instigam a criatividade dentro desses grupos que trabalham com diferentes técnicas e manualidades, apresentando um olhar moderno para esses saberes artísticos, se distanciando dos padrões eurocêntricos que regem a moda e evidenciando grandes talentos do nosso Estado, e tão importante quanto o produto final fruto desses trabalhos colaborativos está a salvaguarda dos saberes e fazeres manuais.

Sobre as colaborações com os grupos de artesãos Antonio reforça “Nunca nos apropriamos do que o artesão já tem enquanto repertório, nossa intenção é desenvolver a partir daquilo que ele já conhece, mas sempre buscando novos lugares e possibilidades, dentro do que eles nos permitem acessar”, é um processo coletivo, uma relação muito profunda e que demanda tempo para acontecer, nos conta. O criador vai ao encontro do grupo, para identificar se aquele trabalho pode se relacionar com a coleção, tendo sintonia, Antonio entra no universo dos artesãos para entender a técnica, faz uma imersão para compreender como funciona a manualidade, e desta forma, conseguir propor a partir desses trabalhos o que a marca encaixará na coleção.

E esse fluxo criativo se dá de forma muito individual em cada grupo. O criador nos conta que os artesãos tem total liberdade nesse processo, tanto para direcionar quanto para limitar o que eles consideram possível ou não, o tocante das atividades é muito aberto para que eles imponham e expressem o que consideram pertinentes nessas produções, a prioridade é sempre comunicar onde, como e por quem é feito esse trabalho. De tal modo, essa relação reforça também o comprometimento que a marca tem de trabalhar de maneira justa com os grupos que se envolvem. Essa responsabilidade é essencial no momento em que a moda caminha para um cenário onde nossas escolhas de consumo também são ações políticas, quando vestimos algo estamos carregando também um discurso, a roupa que tem história e propósito é a que vai se perpetuar.

Sobre os projetos para 2022, o que a marca mais deseja é ter um contato pessoal com os clientes, estar em lugares físicos, participando de eventos e feiras. O estilista afirma que essa troca é muito necessária, o discurso para contextualizar o produto é importante para contar essas histórias, para que o público entenda de onde vem os produtos e consumam a verdadeira essência da marca. A Foz vai trabalhar com coleções anuais, tendo entradas diversas ao longo do ano, mas dedicando-se ao mesmo tema durante todo o ciclo. Antonio também vem trabalhando em outros projetos envolvidos com o artesanato, em paralelo aos trabalhos da Foz, que segue reinventando as riquezas dos trabalhos manuais de Alagoas, trazendo para o contemporâneo e para a moda.

Fica o convite para o mergulho, entre o rio e o mar, que a Coleção Santo Antônio apresenta!

Como comprar: Pelo site: www.ateliefoz.com.br. Fisicamente em São Paulo na loja Bemglô R. Oscar Freire, 1105 – Jardim Paulista, e também no marketplace da loja Bemglô: www.bemglo.com. Através do Instagram (@foz____________) é possível acompanhar todas as novidades da marca.

Comentar




* Área sinalizada obrigatória.
Comentários com conteúdo racista, span, publicidade, pornográfio ou com agressão verbal serão rejeitados.